24 de junho

GDF - Administrações Regionais
Maria da Penha ONLINE Governo do Distrito Federal
17/10/23 às 14h36 - Atualizado em 17/10/23 às 15h36

Governador Ibaneis Rocha entrega Cepi Sarah Kubitschek para o Sol Nascente

COMPARTILHAR

A rede pública de ensino do Sol Nascente ganhou reforço do berçário ao maternal. Na manhã desta terça-feira (17), o Centro de Educação da Primeira Infância (Cepi) Sarah Kubitschek foi inaugurado pelo governador Ibaneis Rocha. A creche, construída na Quadra 500 do Trecho 1, tem capacidade para atender 188 crianças em período integral.

“É com muita alegria que estamos aqui, numa inauguração tão significativa para uma cidade com tantas carências. Nós fundamos a Região Administrativa do Sol Nascente/Pôr do Sol sabendo de tudo que enfrentaríamos. E estamos implementando o que há de melhor nessa cidade”, ressaltou Ibaneis Rocha. “Já inauguramos Restaurante Comunitário, escolas e creches. Temos certeza que venceremos todas as dificuldades aqui, que não são pequenas.”

Os 1.637,63 m² do Cepi Sarah Kubitschek oferecem toda a estrutura necessária para que crianças de até 3 anos passem 10 horas por dia na instituição. São dez salas de aulas, uma sala multiúso, lactário e sala de amamentação, pátio coberto, parquinho, cozinha, refeitório e estrutura administrativa completa. Para aplacar o calor dos dias mais quentes e garantir mais diversão, a creche ainda oferece diversos chuveirões na área externa.

“A garotada vai ficar aqui das 7h30 às 17h30. Os alunos brincam, socializam, aprendem a ter mais autonomia, fazem cinco refeições por dia, descansam e voltam para casa já de banho tomado”, contou a diretora do novo Cepi, Jeanne Monsueth. “É uma estrutura digna das melhores cidades, que oferece todo o conforto, a segurança e o acolhimento que os pequenos precisam”, completa.

A construção da unidade, no valor de R$ 6.437.414,61, foi viabilizada por um acordo judicial entre o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) e a construtora Paulo Octávio. Ficou a cargo da empresa privada o financiamento e a execução da obra.

Creche sem fila

Para quem tem filho pequeno, a inauguração do Cepi Sarah Kubitschek representa um divisor de águas. “Eu não tinha com quem deixar o Mathias. Então, estou sem trabalhar há dois anos, desde o seu nascimento”, comentou a dona de casa Kezia Thielle, 24 anos. “Agora, com um Cepi do lado da minha casa, poderei procurar um emprego com a segurança de que meu filho estará bem-cuidado.”

O Governo do Distrito Federal (GDF) tem trabalhado intensamente para aumentar o acesso a creches públicas. Nos últimos cinco anos, mais de R$ 28 milhões foram mobilizados na entrega de nove creches públicas em Ceilândia, Samambaia, Pôr do Sol, Planaltina e Lago Norte. Outros 16 Cepis estão em construção, um investimento que supera os R$ 85 milhões.

“Temos, ainda, a construção de outras 17 unidades em processo de licitação. Vamos conseguir diminuir bastante a espera por vagas”, informou a secretária de Educação do Distrito Federal, Hélvia Paranaguá. “A creche tem um valor muito importante, principalmente em regiões onde as mães precisam ter um espaço para deixar seus filhos enquanto trabalham.”

Além da construção de novos Cepis, o GDF está recadastrando pais e responsáveis já inscritos na lista de espera por uma vaga em creches públicas no DF. “Temos muitas crianças cadastradas em duplicidade – o pai usa o CPF para pleitear uma vaga perto do trabalho, a mãe inscreve o CPF em busca de uma instituição perto de casa. Agora, o cadastro será feito com o CPF da própria criança”, explicou Hélvia.

No último dia 5, o governador Ibaneis Rocha também assinou um decreto permitindo que escolas ampliem suas instalações para receber um número maior de alunos. As creches, por exemplo, poderão ter mais de 200 crianças, capacidade máxima permitida até então pela SEEDF. Para que a ampliação seja feita, será preciso atender todos os critérios de segurança e acessibilidade.

O aumento da oferta de vagas para crianças de até 3 anos tem animado a cuidadora Fernanda Rosa da Silva, 23. “Eu estava trabalhando apenas nos finais de semana porque não tinha quem cuidasse da Ayla, que tem 1 aninho”, afirmou a moradora do P Sul, em Ceilândia. “É maravilhoso saber que poderei aumentar a renda da família enquanto minha filha ficará segura em uma creche”, conta ela.

 

Texto: Carolina Caraballo, da Agência Brasília | Edição: Saulo Moreno

Mapa do site Dúvidas frequentes